10 de abril de 2015

A BÍBLIA APOSTÓLICA DO THALLES ROBERTO E A SUA INFLUÊNCIA PARA OS JOVENS EVANGÉLICOS

Por Antognoni Misael

“Estratégia”, essa é uma das mais frequentes palavras que o Thalles Roberto tem usado para justificar suas diversas atuações e influências no meio gospel. 

Leitores, estamos diante de uma verdade irrefutável: o Thalles Roberto é talvez o maior nome influente no meio dos jovens evangélicos do Brasil! 

O cantor que já usou a sua “estratégia” na gravação de DVD’s, realização de centenas de Shows, na confecção do bonequinho de si mesmo, de bermudas, blusas, tênis, pulseiras, capas para celulares, agora investe na sua Bíblia Apostólica IDE. - Bíblia? Sim. Isso mesmo! Mas, calma, observe que já é normal as celebridades se utilizarem do fato de serem conhecidas para se envolverem em áreas nas quais não possuem uma especialidade. Isto é, elas acabam por ter um poder de opinar e influenciar de forma desproporcional a sua sabedoria, conhecimento e maturidade. Apesar de não ser legal, isso pode funcionar. Portanto, se funciona, “Deus agradece”! Concorda?

Eu acho impressionante o empenho deste astro com a propagação Evangelho, não sei você. Pensar em expandir o acesso às Escrituras foi uma sacada em tanto. Não foi? Penso que isso partiu de uma experiência pessoal em virtude de ele ter notado que grande parte do seu público jovem demonstra que não lê as escrituras; ele sabe que o que ele mesmo diz nos seus shows é recebido sempre como verdade, não pelo conteúdo do que revela, mas por ser ele uma celebridade. Poxa... o Thalles organizar uma Bíblia de si mesmo denota para mim um ato de humildade onde ele confessa de forma subentendida que nem ele mesmo lê Bíblia, daí abri-la e se ver nela...(#narcisopira) penso que será de um novo ânimo para nunca mais trocar Davi por Paulo e aprender a falar do Evangelho nos programas de televisão em que virá a participar.

Diante dessa engrenagem rentável que o Thalles instalou, fincado em si mesmo (para glória de Deus), fica nítido que o que ele mais deseja é que Cristo apareça em tudo que ele faz, mesmo que para isso seja necessário ele investir pesado numa marca pessoal, numa imagem de si mesmo, ou em uma singela parceria com os 3...(quem são os 3?).

Eu continuo achando fantástica a ideia de ele - ciente de que multidões de jovens e até vários famosos se emocionam e saltitam com suas canções - se utilizar da Bíblia para colocar ele mesmo como um personagem introdutório tornando-a mais atrativa (sem aquela forma de Bíblia, sabe?). Também o fato de acrescentar várias páginas recheadas de sua imagem, canções, testemunhos pessoais para estrategicamente incentivar uma leitura às sagradas escrituras foi, digamos que... uma das mais brilhantes ajudinhas que um “servo- famoso” pôde oferecer a Deus. 

Como eu fico feliz que o Thalles segue os moldes de João Batista - “que Ele cresça e eu diminua”. Como é deleitoso ver alguém que perde a sua vida em favor dos pobres e carentes da Graça de Deus; que a cada dia se ofusca para que Cristo resplandeça e abandona a luminosidade do palco da ostentação para se tornar simples e pobre de espírito. Quão agradável é ver alguém diante de tanta fama permanecer humilde, isto porque tudo na experiência da fama confronta a humildade, não é verdade?

Avalie sinceramente, como é possível alguém ser humilde e considerar os outros melhores que a si mesmo (Fp 2.3) quando se esta comprometido com a autopromoção?

Ora, como obedecer a ideia: “ninguém tenha de si mesmo um conceito mais elevado do que deve ter” (Rm 12.3) ao ser bombardeado por aplausos, atenção e “tietagem”?

Observe como o Thalles nos dá essa lição. Você ainda não observou seu exemplo? Quantas vezes ele usa a palavra “eu”, as expressões “Deus me deu”, “Deus me fez”, “meu facebook”, “minha influência”.

Amigo leitor, nunca ninguém expandiu tão bombasticamente o selo de si mesmo por estratégia em favor das almas perdidas, por mais que isso tenha lhe custado alguns zeros a mais em sua conta bancária. Diante disso eu observo que Keith Green ficou foi pra trás - este “pobre” que inventou de fazer concerto de graça e dar seus próprios discos morreu cedo porque não soube fazer do mercado a promoção de si mesmo para que através de sua própria riqueza e fama Jesus aparecesse em sua camisa.

Por fim eu fico a pensar. Se há culpa ou mérito nisso tudo, deve-se atribuir isso ao Thalles? Ora, claro que não! O povo se influencia por aquilo que de fato almeja lá dentro de sua alma. Se o Thalleco é tão influente assim, e se o que ele mais esbanja é glória a sua própria imagem, não tenhamos dúvida, seus seguidores são idólatras de si mesmo!

Steve Turner comenta em sua obra, Engolidos pela Cultura Pop, o seguinte:
“O estrelismo tende a inflar o ego das pessoas, mas o público também quer celebridades com egos inflados, pois as torna interessantes. Humildade e autocontrole não fazem boas histórias, mas arrogância e imprudência, sim. As pessoas querem que suas estrelas sejam maiores que a vida. Querem que elas façam coisas que sempre sonharam, mas que não têm coragem, dinheiro e oportunidade para fazer.” [Pág. 111, 112]
Se você se identifica com as posturas eclesiásticas e mercadológicas do Thalles Roberto, não tenha dúvida, você não entendeu o que é o Evangelho! Sugiro que se por acaso tem ou deseja adquirir a "Bíblia dele", leia o que está contida no seu cerne e peça a Deus iluminação para entender a plenitude do Evangelho. Não julgue o livro pela capa.

P.S.: Espero que ninguém faça recortes de frases isoladas do texto, e não me diga que é preciso eu grifar as ironias.

*** 

Antognoni Misael, fã do estrategista Thalles Roberto.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Comenta! Elogia! Critica! É tudo para o Reino!

Considere apenas:
(1) Discordar não é problema. É solução, pois redunda em aprendizado! Contudo, com modos.

(2) A única coisa que eu não aceito é vir com a teologia do “não toque no ungido”, que isto é conversa para vendilhão dormir... Faça como os irmãos de Beréia e vá ver se o que lhe foi dito está na Palavra Deus!
(3)NÃO nos obrigamos a publicar comentários ANÔNIMOS.
(5) NÃO publicamos PALAVRÕES.

“Mais importante que ser evangélico é ser bíblico” - George Knight .

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Visite

Seguidores

Google+ Followers

+


Comentários em Artigos!

Total de visualizações

Blogroll

"Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós outros, me odiou a mim." – Jo 15.18

Marcadores

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

top social

WebEvangelistas -Google+

top navigation

Siga por e-mail

Blog Archive

Pesquisar este blog

Teste Teste Teste Teste

Marcadores

Anuncio!!