6 de dezembro de 2012

ALIANÇA COM DEUS...



Aliança significa pacto, compromisso, acordo firmado. O anel que os noivos trocam na cerimônia de casamento recebem esse nome por representarem o acordo que firmam naquele dia. Sem esse significado, torna-se um mero anel.

Alias, falar em compromisso em nosso tempo é quase utópico. Tentar explicar o que significa aliança, acordo mútuo nos tempos atuais pode soar até como piada.

Digo isto porque é claro que vivemos em tempos de relações superficiais e mesquinhas. As pessoas não se interessam em cumprir o que pactuam. Não há interesse em se assumir um compromisso sem que eu seja o mais beneficiado com isso.

Pensando assim volto-me outra vez ao exemplo clássico do casamento. Se casamento denota aliança, compromisso mútuo, explica-se aí o fato de muitos fugirem dessa aliança e de outros tentarem adaptá-la ao seu gosto.

Deus também fez uma aliança conosco. Aliás, na Bíblia existem várias passagens em que Deus propõe um pacto de compromisso. (Gen. 9 – Aliança após o dilúvio com arco íris; Gen. 17 Aliança com Deus representada na circuncisão; Deut. 29:9 – Renovação da Aliança com o povo; Aliança com Davi – Sl. 89:3), e por aí vai...

Contudo, no texto de Jer. 11, Deus faz uma cobrança. O povo não cumpria sua parte no acordo. Não respeitavam a aliança e isso havia tempo. Volta e meia eles eram infiéis no compromisso assumido e não respeitavam os termos do acordo.

O ser humano tem dificuldades em honrar seus compromissos.
Os termos da aliança eram: “... obedeçam-me e façam o que lhes ordeno... e eu serei o Seu Deus... e cumprirei a promessa que fiz...” v.5 e v.7.

Alguém que não cumpre os termos de um compromisso firmado; fica a mercê da aplicação das sanções previstas no mesmo.

Deus advertiu seu povo. Disse que permitiria que recaíssem sobre eles todas as maldições provenientes do descumprimento do pacto.

Deus fora meramente justo. Aplicou aquilo que estava previsto. Fez com que se cumprisse aquilo que já advertira várias vezes anteriormente. Entretanto não são poucas às vezes em que olhamos Deus com ar acusador, simplesmente pelo fato de colhermos os frutos da quebra da aliança com Ele.

Lembro-me de Sansão, que tinha um pacto firmado com Deus desde seu nascimento. Sua força descomunal e suas inúmeras vitórias estavam atreladas ao obedecer aos designíos que Deus havia estabelecido. Porém, quando ele deixa de cumprir sua parte, quebrando a aliança feita, sofre inevitavelmente as consequências de seus atos.

A grande questão é que somos infiéis, quebramos a aliança, mas não queremos arcar com as consequências.
Assim acontece comigo e com você. Quase sempre. Desprezamos a aliança feita, o compromisso firmado. Só queremos cumprir com aquilo que nos agrada.

Por isso considero esse tempo como um tempo de pessoas sem palavra, de gente que não cumpre o que promete.

Quando se trata de Deus, achamos que não temos a obrigação de cumprir ou obedecer nada que Ele tenha estabelecido. Entretanto, sempre achamos que Deus é obrigado a cumprir sua parte no acordo.

Lembre-se que um acordo só pode ser validado quando ambas as partes fazem o que se propuseram. Deus fez sua parte, na maior aliança de todas com o homem. Enviou Jesus, para libertá-los da condenação eterna como consequência do pecado. Os termos desse acordo são:

“Se você confessar com a sua boca que Jesus é Senhor e crer em seu coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo.” Rom. 10:9.

“... se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar e orar, buscar a minha face e se afastar dos seus maus caminhos, dos céus o ouvirei, perdoarei o seu pecado e sararei a sua terra.” II Cron. 7:14

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
João 3:16-17
Ainda há tempo. Assuma um compromisso com Deus. Sua atitude de segui-lo vai livrá-lo da condenação eterna. Deus já fez a parte Dele. Faça a sua também. Firme uma aliança com o Senhor.

Pois vocês são um povo santo para o Senhor, o seu Deus. O Senhor, o seu Deus, os escolheu dentre todos os povos da face da terra para ser o seu povo, o seu tesouro pessoal.

O Senhor não se afeiçoou a vocês nem os escolheu por serem mais numerosos do que os outros povos, pois vocês eram o menor de todos os povos.

Mas foi porque o Senhor os amou
e por causa do juramento que fez aos seus antepassados. Por isso ele os tirou com mão poderosa e os redimiu da terra da escravidão, do poder do faraó, rei do Egito.

Saibam, portanto, que o Senhor, o seu Deus, é Deus; ele é o Deus fiel, que mantém a aliança e a bondade por mil gerações daqueles que o amam e guardam os seus mandamentos.
 
Deuteronômio 7:6-9.


Marcello Matias, pastor.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Comenta! Elogia! Critica! É tudo para o Reino!

Considere apenas:
(1) Discordar não é problema. É solução, pois redunda em aprendizado! Contudo, com modos.

(2) A única coisa que eu não aceito é vir com a teologia do “não toque no ungido”, que isto é conversa para vendilhão dormir... Faça como os irmãos de Beréia e vá ver se o que lhe foi dito está na Palavra Deus!
(3)NÃO nos obrigamos a publicar comentários ANÔNIMOS.
(5) NÃO publicamos PALAVRÕES.

“Mais importante que ser evangélico é ser bíblico” - George Knight .

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Visite

Seguidores

Google+ Followers

+


Comentários em Artigos!

Total de visualizações

Blogroll

"Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós outros, me odiou a mim." – Jo 15.18

Marcadores

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

top social

WebEvangelistas -Google+

top navigation

Siga por e-mail

Blog Archive

Pesquisar este blog

Teste Teste Teste Teste

Marcadores

Anuncio!!