30 de julho de 2012

Pode haver fruto do Espírito no Octógono?

Estou estreando no blog do meu amigo Wagner com um texto que, infelizmente, vai ficar longo!

Trata-se de uma resposta à um poste muito bem escrito no Genizah a respeito de MMA. Lí o texto e, apesar de achá-lo bem argumentado, discordo com a opinião do autor e por isso, escrevo aqui uma resposta.

No texto, o autor faz uma análise do MMA à luz do texto de Gálatas 5 v22-23 e chega à conclusão de que não há como carregar para dentro do octógono as características do fruto do Espírito.

Pois bem, pretendo aqui responder a essas e a outras acusações, sem depreciar o autor do texto, que me pareceu se tratar de uma pessoa séria e que ama a Jesus.

Existe uma impressão equivocada por parte dos evangélicos de achar que a Bíblia exclui a toda e qualquer possibilidade de haver agressividade da nossa rotina. Isso é falso, bem equivocado, para dizer a verdade. sei que se eu citar o velho testamento, muitos argumentarão que "o que vale é o novo testamento". Oras, Bíblia é Bíblia e como diz o apóstolo Paulo à Timóteo, "TODA escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino". Sendo assim, começaremos pelo velho testamento.

Quem luta, sabe que o confronto não precisa estar recheado de sentimentos de ódio. Claro que há aqueles que preferem se encher de sentimentos carnais acreditando que com isso lutará de maneira mais eficaz, mas esses ainda não conhecem a Deus. Confronto físico não é sinônimo de raiva, ódio ou qualquer sentimento similar. A luta, ouso eu dizer, pode até mesmo, ter como resultado a benção de Deus! Não pense que estou fazendo apologia proselitista à luta. Não é o caso, mas acompanhe meu raciocínio.

Jacó, o enganador, está para ter um encontro com seu irmão, Esaú, depois de anos sem o ver. Ele teme por sua segurança, pois roubou a sua bênção da primogenitura o que havia enfurecido a Esaú. Jacó manda rebanhos à frente como presente apaziguador ao irmão e manda até mesmo a sua família! Ele se vê então sozinho, para trás e de repente, se põe a lutar contra "um homem"! Na verdade, sabemos que não era um homem, mas também não sabemos se era um anjo ou o próprio Deus, Jesus, (teofania), enfim. Fato é que o confronto tem dois resultados. O primeiro é que Jacó tem sua coxa ferida permanentemente. O segundo é que seu nome é mudado de Jacó, enganador, para Israel, "aquele que luta com Deus" e é assim abençoado! Ora, essa luta excluiu amor? Uma luta que gera benção, pode nos parecer estranho, mas foi exatamente o que aconteceu e a Bíblia nos diz que Deus amou a Jacó.

Sou lutador de Jiu-jtsu brasileiro e preciso dizer que, quando luto com meus amigos, eu não os odeio. Se alguém o faz, o faz por que ainda não conhece o amor de Deus. Mas não vou ficar apenas no velho testamento. Vamos falar de novo testamento.

Todos olham para Jesus e pensam nEle como alguém que apenas caminha calado como um cordeiro caminha para o matadouro. A figura está correta, mas incompleta! Jesus é também o que confronta com duras palavras, chamando a muitos fariseus de raça de víboras! Isso não soa a "mansidão", soa? Mas Ele o faz. E aí? Acusaremos a Jesus de não dar fruto do Espírito?

Permita-me complicar um pouco mais. O que dizer da intervenção física de Jesus com os comerciantes de animais que ele encontrou no templo? A Bíblia nos diz que ele virou as mesas e no evangelho de João, descobrimos que ele usou um azorrague para isso. Azorrague é bem pior que um simples chicote, pois tem mais de uma ponta e causa uma dor terrível! Interessante, não é? Essa cena é narrada nos 4 evangelhos! . Tenho plena convicção de que Jesus não chegou com o seguinte discurso: "Com licença? O Senhor poderia tirar esses belos animais da mesa para que eu possa virá-la de cabeça para baixo?" Ou "O senhor poderia, por favor, sair do templo? Estou educadamente expulsando-o!" Certamente é uma intervenção física bastante agressiva e foi feita de maneira enérgica. É a única narrada, mas bastante intensa. O que dizer disso? Teria Ele escorregado quanto ao domínio próprio ou mansidão? Certamente que não.

Luta e confronto, não são sinônimos de ódio, mas algumas vezes, são claramente uma necessidade para que se desempenhe o devido zelo. Eu falo rapidamente sobre isso aqui.

Por fim, quero encerrar dizendo que o jiu-jitsu não tem uma cultura de agressão como diz o autor, que por acaso, conta que lutou judô por algum tempo. A época dos "pit-boys" passou! Graças a Deus! E o que ajudou a acabar com essa imagem foi a intervenção direta da família Grace que por tantas vezes fizeram questão de esclarecer que tais atitudes eram resultado de professores mal intencionados. Aproveito também para dizer que TODA LUTA é agressiva, inclusive o judô. Ou você acha que levar uma queda com o seu peso e mais o peso do seu adversário encima de você não dói? Se houver dúvidas quanto à isso, peça a um lutador que o derrube.

Há outros argumentos citados pelo autor que não responderei aqui apenas para não deixar mais comprido, esse texto, do que já está. Mas, se houver alguma dúvida, fico feliz em esclarecer, caso eu esteja apto para isso.

Obrigado pela paciência de ler até aqui!

Cleber Sá

siga no twitter: @clebersa
leia também www.clebersa.com.br
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

4 comentários:

  1. Não... Temos que cuidar bem do templo do Espírito e mante-lo imaculado... Esse povo que pratica isso está afastado de Deus...

    ResponderExcluir
  2. Apesar da bela defesa do Cleber, eu não consigo conciliar a postura cristã com o grande evento de MMA, o UFC.
    Vai soar contraditório, mas até entendo a prática de algumas artes marciais como algo perfeitamente aceitável para o cristão; mas o UFC não me parece com a simples prática da arte marcial.
    Enquanto que nas academias é ensinada a disciplina, respeito, etc, o 'evento' UFC é uma ode à violência.
    Não é que a característica da arte marcial muda, mas o enfoque que é dado muda: ali tem que ser produzido um show com claro incentivo à brutalidade e violência.
    Como exemplo pra tentar esclarecer meu confuso posicionamento, cito a famosa disputa Sonen x Anderson Silva.
    Durante largo tempo o americano incitou, provocou, ofendeu, tanto o oponente quanto o país para promover a luta e conseguir uma manifestação mais acalorada do normalmente controlado Anderson.
    Até que, finalmente, conseguiu e vimos o Spider prometer "quebrar todos os dentes" do outro.
    Enquanto isso, o país inteiro vibrava com a ameaça.
    Pra mim, fica clara a intenção de promoção da violência do 'evento' em perfeita dissonância do que deveria ser o objetivo das artes marciais e completamente diferente do que vemos em outras competições.
    Enfim, não sei se me fiz entender, mas considero o 'evento' UFC como algo totalmente desaconselhável para o cristão.
    Por outro lado, nada contra a arte marcial praticada em academias e outras competições sem o apelo pra violência que é feito pelo UFC.

    ResponderExcluir
  3. Eu odeio qualquer esporte e faz com que seu oponente tenha que sacrificar o seu corpo ou espirito para te vencer... e esse MMA E UM VANDALISMO EXIBIDO A TODOS PELA TV E CANAIS ABERTOS...violencia e o que e pregado aos nossos jovens que ja por si proprios nao estao dando boa coisa... por acabava com isso agora... esporte e outra coisa... nao isso!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Esporte de crente mesmo é xadrez,marcha olimpica, nado sincronizado ( de calça cumprida pra não escandalizar)..

    Cada uma que eu vejo..... Serio mesmo que precisa de alguem te falando o que fazer, praticar ou assistir? A regra é clara: se teus olhos te fazem pecar, arranca eles fora. Se praticar artes marciais te faz pecar, para de fazer.... Deus conhece cada um individualmente , sabe a motivaçao de cada um. Você não é gado. Para de pensar como manada.

    ResponderExcluir

Comenta! Elogia! Critica! É tudo para o Reino!

Considere apenas:
(1) Discordar não é problema. É solução, pois redunda em aprendizado! Contudo, com modos.

(2) A única coisa que eu não aceito é vir com a teologia do “não toque no ungido”, que isto é conversa para vendilhão dormir... Faça como os irmãos de Beréia e vá ver se o que lhe foi dito está na Palavra Deus!
(3)NÃO nos obrigamos a publicar comentários ANÔNIMOS.
(5) NÃO publicamos PALAVRÕES.

“Mais importante que ser evangélico é ser bíblico” - George Knight .

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Visite

Seguidores

Google+ Followers

+


Comentários em Artigos!

Total de visualizações

Blogroll

"Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós outros, me odiou a mim." – Jo 15.18

Marcadores

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

top social

WebEvangelistas -Google+

top navigation

Siga por e-mail

Blog Archive

Pesquisar este blog

Teste Teste Teste Teste

Marcadores

Anuncio!!