1 de março de 2013

Papa renunciou por ser gay, afirma ativista católico



Um conhecido ativista gay católico causou furor ao afirmar que o papa Bento 16 pode ter renunciado por ser gay.

O motivo da especulação é o anúncio de que Bento XVI continuará vivendo no Vaticano com seu secretário de confiança, Dom Georg Gaenswein.

O ativista e blogueiro Andrew Sullivan escreveu um post intitulado “Dois Papas, um secretário”, onde especula que Ratzinger, 85, pode ter uma relação “estranha” com Gaenswein, de 56.

Apelidado de “Georg lindo” pela imprensa italiana, o secretário recentemente foi destaque na capa da Vogue italiana e a revista Vanity Fair, publicou uma matéria sobre ele com o “Padre Georg – Não é pecado ser bonito”.

Para Sullivan, “parece bastante óbvio” que “o atual papa é gay”, ainda que um que não tem “explorado a sua sexualidade, ou violado suas próprias críticas sobre o assunto.”  O ativista pelos direitos LGBTS dentro da Igreja Católica cita ainda parte do material presente no livro “The Pope Is Not Gay” [O Papa não é gay], escrito por Angelo Quattrocchi, em 2010, que já rebatia esse tipo de insinuação.

Usando trechos de entrevistas antigas de Gänswein, o blogueiro faz várias afirmações fortes, ligando a renúncia do papa a este “segredo” do Vaticano. Aparentemente, o secretário passa mais de 12 horas por dia ao lado do papa e confessa que seu coração ainda “bate mais forte” quando vê o pontífice. Sullivan ainda questiona porque Bento 16 embora se pronuncie contra o casamento gay não tomou as medidas prometidas para punir os sacerdotes envolvidos em escândalos de pedofilia.

Papa e seu secretário, Dom Georg Gaenswein

O material de Sullivan foi reproduzido em diferentes sites da internet e jornais de grande circulação, incluindo o Huffington Post, considerado o blog mais influente do mundo. Seu argumento mais forte é a matéria do influente jornal italiano La Repubblica, que liga a renúncia do papa a um documento incriminador que fala da força de um “lobby gay” junto ao Vaticano. Também denunciou uma “rede subterrânea gay que organiza encontros sexuais de sacerdotes católicos em vários pontos de Roma e da Cidade do Vaticano”.

As acusações foram publicamente negadas pelo Vaticano, mas a história mostra que esse tipo de acusação contra os papas não é nova. Segundo alguns livros sobre a vida dos papas, Paulo II (1464-1471),  Sisto IV (1471-1484), Leão X (1513-1521) e Júlio III (1550-1555) também viveram sob esse tipo de suspeita. 




Fonte: Gospel Prime com informações de Huffington Post e Andrew Sullivan
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Comenta! Elogia! Critica! É tudo para o Reino!

Considere apenas:
(1) Discordar não é problema. É solução, pois redunda em aprendizado! Contudo, com modos.

(2) A única coisa que eu não aceito é vir com a teologia do “não toque no ungido”, que isto é conversa para vendilhão dormir... Faça como os irmãos de Beréia e vá ver se o que lhe foi dito está na Palavra Deus!
(3)NÃO nos obrigamos a publicar comentários ANÔNIMOS.
(5) NÃO publicamos PALAVRÕES.

“Mais importante que ser evangélico é ser bíblico” - George Knight .

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Visite

Seguidores

Google+ Followers

+


Comentários em Artigos!

Total de visualizações

Blogroll

"Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós outros, me odiou a mim." – Jo 15.18

Marcadores

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

top social

WebEvangelistas -Google+

top navigation

Siga por e-mail

Blog Archive

Pesquisar este blog

Teste Teste Teste Teste

Marcadores

Anuncio!!